Semana Mundial da Imunização: Qual a importância da vacinação em prematuros?

De 2010 a 2013, a vacinação reduziu em pelo menos 86% os casos de todas as seis doenças protegidas pela vacina hexavalente 1, essencial para imunização de recém-nascidos

A imunização é a maneira mais eficaz de garantir que algumas doenças sejam erradicadas. E essa prevenção precisa começar desde cedo, ainda mais quando se fala em prematuros. Nesta Semana Mundial da Imunização (de 24 a 30 de abril), a Sanofi Pasteur, líder global no desenvolvimento e distribuição de vacinas, se engaja nas ações de conscientização sobre a prevenção por meio de vacinas.

No Brasil, segundo o Ministério da Saúde, o nascimento de prematuros corresponde a 12,4% do total, ou seja, em média, 930 prematuros por dia, equivalendo a 40 por hora.2

Sheila Homsani, diretora médica da Sanofi Pasteur, explica porque a vacinação para este grupo é tão importante. “O bebê prematuro é mais vulnerável do que aqueles que nascem a termo, a partir de 37 semanas de gestação completas.3 Por isso, em alguns casos, eles precisam de internação para ter sua temperatura corporal controlada, utilização de sonda gástrica para alimentação, ganhar peso e receber auxílio de aparelhos para respiração.4 Além disso, por conta de possíveis complicações relacionadas à prematuridade, os bebês ficam muito mais suscetíveis a infecções e doenças que podem ser evitadas por meio da vacinação”.

A vacina hexavalente, disponível nas redes particulares do país, é ministrada em bebês aos dois, quatro e seis meses de vida. Ela protege contra difteria, tétano, coqueluche acelular (que gera menos reações), meningite provocada pela bactéria Haemophilus influenzae tipo b, hepatite B e poliomielite. Em diversos países, a hexavalente já é o padrão para vacina, inclusive no sistema público de saúde. De acordo com a Sociedade Italiana de Neonatologia, os números de casos dessas doenças reduziram consideravelmente após a administração da vacina, conforme a tabela abaixo.1



De acordo com esses dados, após a introdução da vacina, os casos notificados de difteria e poliomielite reduziram em 100% entre 2010 e 2013, ou seja, chegaram a 0. Já os casos de tétano diminuíram 91,4%; de coqueluche, 97,6%; de hepatite B, 86% e das infecções provocadas pela bactéria Haemophilus influenzae tipo b reduziram em 91,3%.1

No Brasil, a rede pública de saúde oferece a vacina pentavalente, que protege contra cinco doenças na mesma dose: difteria, tétano, coqueluche de células inteiras, Haemophilus influenzae tipo b e a Hepatite B. Para equivaler à hexavalente, neste caso, ainda é necessária mais uma aplicação, a vacina única de poliomielite. Para ambas as vacinas, pentavalente e hexavalente, indica-se que a vacina seja aplicada aos 2, 4 e 6 meses do bebê, com reforço entre 15 e 18 meses de idade e 4 e 5 anos.5

SOBRE AS DOENÇAS

Difteria

Infecção causada pela toxina da bactéria Corynebacterium diphtheriae, transmitida de pessoa para pessoa por contato físico e respiratório. Forma placas branco- acinzentadas nas amígdalas, laringe e nariz. Em casos mais graves, pode ocorrer um inchaço grave no pescoço, com aumento dos gânglios linfáticos, resultando em dificuldade ou obstrução total da respiração.6

Tétano

Causada pela toxina da bactéria Clostridium tetani, que pode ser encontrada no solo, poeira e nas fezes de animais.5 Os esporos da bactéria entram no corpo através de uma ferida e produzem uma toxina chamada tetanospasmina. Essa toxina altera os sinais neurológicos da coluna vertebral para os músculos, causando espasmos musculares intensos.7

Pertussis/Coqueluche

Doença infecciosa aguda e transmissível. Compromete especificamente o aparelho respiratório (traqueia e brônquios) e se caracteriza por paroxismos de tosse seca. Em lactentes, pode resultar em número elevado de complicações e até a morte.8

Poliomelite

Causada por infecção pelo poliovírus, que se transmite por contato direto e também por contato com secreções 9 . Pode afetar os nervos e levar à paralisia parcial ou total. Apesar de ser chamada de paralisia infantil, a doença pode afetar tanto crianças quanto adultos.9

Haemophilus influenzae tipo b

O Haemophilus influenzae tipo b (Hib) causa meningite e outras infecções bacterianas graves como, pneumonia, bacteremia - presença de bactérias no sangue, artrite séptica e epiglotite, primariamente entre bebês e crianças menores de cinco anos de idade. A doença é incomum em qualquer pessoa com idade igual ou superior a cinco anos.10

Hepatite B

Transmitida por vírus, causa inflamação do fígado 11. As formas de transmissão do vírus B são: sexual, sanguínea e vertical.11

Sobre a Sanofi

A Sanofi se dedica a apoiar as pessoas ao longo de seus desafios de saúde. Somos uma companhia biofarmacêutica global com foco em saúde humana. Prevenimos doenças por meio de nossas vacinas e proporcionamos tratamentos inovadores para combater dor e aliviar sofrimento. Nós estamos ao lado dos poucos que convivem com doenças raras e dos milhões que lidam com doenças crônicas.

Com mais de 100 mil pessoas em 100 países, a Sanofi está transformando inovação científica em soluções de cuidados com a saúde em todo o mundo.

Sanofi, Empowering Life, uma aliada na jornada de saúde das pessoas.

Referências:
  1. Hexavalent vaccines: characteristics of available products and practical considerations from a panel of Italian experts. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6069402/. Acessado em 10 de março de 2020.
  2. Lançamento da Campanha 17 de novembro, Dia Mundial da Prematuridade. Precisamos falar sobre isso! Disponível em: https://www.camara.leg.br/eventos-divulgacao/evento?id=28906. Acesso em 10 de março de 2010.
  3. Ministério da Saúde. Bebês Prematuros [Internet]. Disponível em: https://www.saude.gov.br/noticias/823-assuntos/saude-para-voce/40775-bebes-prematuros. Acesso em 13/04/2020
  4. Cuidados com o Bebê Prematuro – Orientações para a Família. 3ª ed. [2009]. Disponível em https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cuidados_bebe_prematuro_3ed.pdf. Acesso em 10/04/2020
  5. Calendário de vacinação do nascimento aos 19 anos – 2019-2020. Sociedade Brasileira de Imunizações. Disponível em: https://sbim.org.br/images/calendarios/calend-pg-crianca-adolesc-0-19.pdf. Acesso em: 2020 Março
  6. Brasil. Ministério da Saúde. Difteria - Informações Técnicas. [Internet] Disponível em: https://saude.gov.br/saude-de-a-z/difteria. Acesso em: 2020 Março
  7. Brasil. Ministério da Saúde. Tétano - Informações Técnicas. [Internet] Disponível em: https://saude.gov.br/saude-de-a-z/tetano-acidental. Acesso em: 2020 Março
  8. Brasil. Ministério da Saúde. Coqueluche - Informações Técnicas. [Internet] Disponível em: https://saude.gov.br/saude-de-a-z/coqueluchel. Acesso em: 2020 Março
  9. Brasil. Ministério da Saúde. Poliomelite - Informações Técnicas. [Internet] Disponível em: https://saude.gov.br/saude-de-a-z/poliomielite. Acesso em: 2020 Março
  10. Centers for Disease Control and Prevention (CDC). About Haemophilus influenzae Disease. [Internet] Disponível em: https://www.cdc.gov/hi-disease/about/index.html. Acesso em: 2020 Março
  11. Brasil. Ministério da Saúde. Hepatites - Informações Técnicas. [Internet] Disponível em:https://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/hepatite. Acesso em: 2020 Março
Para mais informações

Assessoria de Imprensa da Sanofi
Érica Rizzi (11) 3526-4535 / erica.rizzi@iccom.com.br
Suelen Rodrigues (11) 3526-4571 / suelen.rodrigues@iccom.com.br
Teresa Ferreira (11) 3526-4563 / teresa.ferreira@iccom.com.br