Nós acreditamos no Seu Tipo

Por mais de 100 anos, nós escutamos e apoiamos as pessoas que convivem com Diabetes. Nós acreditamos que o cuidado com a saúde deve ser individual, como você. Nós acreditamos no Seu Tipo.

Conheça Lucy

Fisioterapeuta em São Paulo

Lucy tinha 12 anos quando foi diagnosticada com Diabetes. Tudo começou depois de uma competição de natação, quando começou a perder peso continuamente. Foram oito quilos em uma semana. Passou três dias no hospital até ser diagnosticada com Diabetes. Depois desse episódio, passou a ver a vida como uma “luta” contra as hiperglicemias, quando seus níveis de açúcar no sangue estavam muito altos, ou contra as hipoglicemias, quando estavam muito baixos.

Como muitas pessoas recém-diagnosticadas, Lucy sentiu-se sozinha e com medo do que viria pela frente, tentando descobrir como conviver o resto da vida com injeções e monitoramento do seu corpo 24 horas por dia, 7 dias por semana. Uma atividade corriqueira, como comer na casa de amigos ou comprar um sorvete, de repente passou a significar lembrar de injeções de insulina e calcular níveis de glicose.

“Percebi que precisava parar de lutar contra o incontrolável e não desistir” diz Lucy, que hoje trabalha como fisioterapeuta. “Sabemos que nós temos limitações, mas nós podemos superá-las”, afirma.

Conheça mais histórias de pessoas que vivem com diabetes

Entenda o que é o Diabetes

A Diabetes é uma doença complexa e crônica, que aumenta a quantidade de açúcar no sangue e ocorre quando o pâncreas não produz insulina suficiente ou quando o corpo não consegue usá-la adequadamente. A insulina é um hormônio liberado pelo pâncreas com a função de colocar dentro das células o açúcar que está no sangue, onde ele servirá como energia.1

Em casos de altos níveis de açúcar no sangue e na urina, alguns sintomas podem acontecer: cansaço excessivo, perda de peso, sede, necessidade frequente de urinar e visão turva ou embaçada. Nosso sangue não pode ter altos níveis de açúcar, porque isso pode ocasionar sérios problemas nos olhos, nos vasos sanguíneos, nos nervos, nos rins, nos pés e no coração. Entre esses problemas, os mais graves são a perda parcial da visão ou até mesmo cegueira, insuficiência renal e lesões graves nos pés, com risco de amputação.2, 3

Tradicionalmente, a diabetes é classificada em duas formas diferentes:4

  • Tipo 1, quando falta insulina (hormônio que regula o açúcar no sangue) no corpo;
  • Tipo 2, quando o corpo não consegue usar a insulina que o pâncreas produz.

Os avanços científicos recentes, no entanto, indicam que há mais que dois tipos de diabetes.

Doenças Cardiovasculares

Nossas equipes de pesquisa desenvolvem tratamentos inovadores, especialmente nos casos em que a condição é hereditária ou os riscos não podem ser minimizados por meio de dieta ou exercícios físicos.

Quer saber mais?

Ambiente escolar seguro para crianças e jovens com diabetes tipo 1