Vida normal com hipotireoidismo: isso é possível



Acha difícil não ter a qualidade de vida afetada pelo hipotireoidismo? Pois saiba que isso é possível, sim.

Acha difícil não ter a qualidade de vida afetada pelo hipotireoidismo? Pois saiba que isso é possível, sim, mesmo que a baixa produção dos hormônios T3 e T4 pela tireoide interfira no metabolismo, no ciclo menstrual, no sistema imunológico, nos ossos e no desempenho de alguns órgãos. “O segredo está em não apenas se tratar, mas em se tratar da maneira correta. Só assim para combater alguns dos principais sintomas, como desânimo, alterações no humor e na memória, sonolência e ganho de peso, e manter o bom desempenho no trabalho, nos estudos e na vida pessoal”, esclarece a endocrinologista Mariana Farage*, do Instituto Nacional de Cardiologia, no Rio de Janeiro, membro titular da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM).

Cuidado ideal

Apesar de não haver cura para o hipotireoidismo, ele pode ser controlado com o uso de reposição hormonal e a adoção de hábitos saudáveis, que incluem alimentação equilibrada e prática regular de atividade física. “Daí a importância de consultar um especialista, fazer os exames necessários e seguir as recomendações à risca para que o médico consiga prescrever a dosagem adequada da medicação para o seu caso”, completa a doutora Mariana Farage.
*CRM 527880
As orientações a seguir se referem à interpretação da literatura médica atual e às principais recomendações de sociedades médicas. Essas informações não devem estimular a automedicação e, sob nenhuma hipótese, substituem a avaliação de seu médico de confiança. Ele é o único profissional habilitado para avaliar a sua saúde e indicar a melhor conduta para o seu caso.
Usar remédios sem o conhecimento do seu médico pode ser extremamente perigoso para sua saúde.